Tema de Estudo 2021

Corpo : a-bordagens

 

Em 2021, no rastro das elaborações sobre o feminino, a EFBH abre-se para uma reflexão sobre o corpo e todo o mistério da linguagem que o envolve.
Com Freud, já no nascimento da psicanálise, o corpo se mostra como enigma, em cuja superfície anatômica o sintoma faz signo, já prenunciando a linguagem que aí se apresenta no teatro histérico.
É também Freud quem situa as pulsões no limite entre o psíquico e o somático. Este enunciado, que demarca o campo representacional da pulsão (triebrepräsentanz), faz ecoar nos “acontecimentos do corpo” os ruídos de uma Outra língua.
Em “O estágio de espelho como formação do eu”, Lacan encontra uma abordagem teórica fundamental para o entendimento da formação da imagem corporal e seu vínculo estrutural ao Outro. É nesse momento que se organiza na criança a primeira imagem do corpo.
Em outro tempo de seu ensino, Lacan aborda o corpo como não totalmente colonizado pelo simbólico ou sob o efeito do discurso do Outro. Ou seja, o corpo precisa ser pensado a partir dos três registros: Imaginário, Simbólico e Real. Entra em cena o corpo substancial do vivente , com suas diversas formas de escrita, daí poder se falar de uma escrita do corpo e no corpo; seja aquela em que o corpo fala através de suas marcas, ou mesmo a escrita onde o corpo se faz o leito da letra.
Essas são algumas das a bordagens sobre o corpo que nos ocuparão em 2021. Convidamos os interessados para nos acompanhar nestas investigações .